Contentamento

O quão felizes estamos com o que temos?

Começo este texto desafiando a você, leitor, a refletir sobre como têm sido seus dias. Numa prática de mindfulness e assistindo posteriormente a uma palestra da Monja Cohen - de quem admiro muito o trabalho - fiquei a pensar sobre a satisfação.

Satisfação essa relacionada ao âmbito pessoal, profissional, familiar, social, espiritual... a tudo o que nos permeia enquanto seres humanos.

Entendo que estar satisfeito é sentir que aquilo está bom da forma que se apresenta. Almejar novas possibilidades, esperar dias e oportunidades melhores está no roll do perfil desta geração que vivemos. Mesmo assim: consegue usufruir daquilo que vive?

Vamos pensar juntos. Sabe aqueles momentos de trabalho: aquele dia muito produtivo, várias realizações, muitos contatos; um outro dia que a performance não foi como o esperado, sentimentos desagradáveis (como tristeza e frustração, por exemplo). Como vc reage a cada um deles?

Tenho a suposição de que o primeiro dia proporciona aquela sensação de dever cumprido. Aposto que você comemora muito, chega em casa conversa com alguém ou compartilha isso de outra maneira (a que melhor te couber).

Certo? Errado. No relato dos meus pacientes (e as vezes até comigo mesma) o pensamento prevalente é de que "não fiz mais do que minha obrigação".

Já nos dias menos produtivos nos deparamos com autocobrança, sentimentos desagradáveis e ficamos remoendo isso por algum tempo.

Pode parecer complicado e desafiador, mas tenho tentado colocar em prática nos meus dias técnicas de atenção plena - tomar um café explorando aquele momento (qual o aroma? qual a temperatura? que sentimento tenho no momento? como está minha respiração?) - e tem sido útil viver o momento presente sem racionalizar tanto.

Responder mais e reagir menos. Sentir mais e falar menos. Escutar genuinamente sem pensar numa resposta imediata.

Não é fácil, mas sim possível. Como toda nova habilidade, viver o momento presente exige treino.

Vamos experimentar? Post originalmente publicado na página do Linkedin.


4 visualizações